Menu
“Teatro Rival – Resistência e Sensibilidade”

“Teatro Rival – Resistência e Sensibilidade”

A história do carioquíssimo Teatro Rival Petrobras, palco de espetáculos memoráveis desde a década de 1930, virou tema do livro. É o Teatro Rival – Resistência e sensibilidade, do escritor Fred Góes, que será lançado pela editora Língua Geral no dia ...

  1. Artes Visuais
  2. Cinema
  3. Show
  4. Teatro
Floriano Romano apresenta a instalação 'NUVEM'

Floriano Romano apre…

Na sua sexta exposição individual, o artista Flori...

Exposição reúne gravuras de Francisco Goya

Exposição reúne grav…

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 10 de j...

Martha niklaus apresenta HISTÓRIAS DE PEIXES, ISCAS E ANZÓIS, no Paço Imperial

Martha niklaus apres…

A exposição HISTÓRIAS DE PEIXES, ISCAS E ANZÓIS re...

Tomaz Viana reúne trabalhos inéditos em exposição na Caixa Cultural

Tomaz Viana reúne tr…

Um dos principais nomes da arte urbana, Tomaz Vian...

MISSÃO 115 - Um filme de Silvio Da-Rin

MISSÃO 115 - Um film…

Primeiro documentário sobre os atos terroristas do...

Mostra inédita de filmes da América Central

Mostra inédita de fi…

A CAIXA Cultural Rio de Janeiro recebe, de 14 a 26...

Monstros no Cinema

Monstros no Cinema

O medo e o fascínio que os monstros exercem sobre ...

Error: No articles to display

Amor barato estreia no Rio

Amor barato estreia …

Um frenético mergulho no submundo do poder, revela...

Flavio Migliaccio reestreia “Confissões de um Senhor de Idade” no Teatro dos Quatro

Flavio Migliaccio re…

Flavio Migliaccio retorna em cartaz dia 17 de julh...

Solidão, Que Nada!

Solidão, Que Nada!

A atriz Luciana Coutinho que ficou afastada da car...

  1. Dança
  2. Evento
  3. Fotografia
  4. Música

Error: No articles to display

Biblioteca do CCBB RJ reabre com novidades

Biblioteca do CCBB R…

A reabertura do espaço é marcada pela aquisição de...

Festival de música celebra a diversidade unindo pessoas de diferentes tribos e idades

Festival de música c…

O Riocentro receberá no dia 25 de agosto o Bunker ...

Exposição “O POETA VOADOR, SANTOS DUMONT” conquista prêmio internacional

Exposição “O POETA V…

“O Poeta Voador, Santos Dumont”, exposição que des...

Palácio Guanabara de portas abertas

Palácio Guanabara de…

Palácio Guanabara de Portas Abertas é o projeto de...

Teatro Riachuelo Rio volta a apresentar o projeto “A Arte nos Bastidores

Teatro Riachuelo Rio…

Entre a ideia e os aplausos, um verdadeiro time de...

Mostra do fotógrafo Luis Teixeira Mendes reinaugura espaço no Museu da República

Mostra do fotógrafo …

No dia 23 de junho, sábado, às 15:00 h, o Museu da...

Show de jazz no Leblon

Show de jazz no Lebl…

O Midrash Centro Cultural apresenta na próxima seg...

Mais recentes dos colaboradores

  • Escrita por
    Leituras para o início do resto da vida

    A literatura ocidental fez do jovem intrépido seu personagem favorito, desde os órfãos pobres que saiam mundo afora para procurar emprego, em contos de fada, ou na pele do provinciano  D’Artagnan, que, aos 18 anos, deixa a Gasconha com o propósito de integrar a Guarda Real, juntando-se aos Três Mosqueteiros.  Em 1951, J.D. Salinger trouxe um novo enfoque para a juventude, dando voz às inseguranças da adolescência através de  Holden Caufield, o protagonista do Apanhador no campo de centeio.  Hoje, adolescentes irritados e irritantes ocupam páginas e páginas de livros destinados exatamente para eles, reproduzindo a imagem estabelecida para os jovens pós-Holden Caufield: donos de si, angustiados e com pouca vontade de integrar-se ao mundo adulto. 

    Escrito em Sexta, 17 Agosto 2018 18:28 Leia mais ...
  • Escrita por
    A barbárie de cada dia

    A cada dia, 13 mulheres são assassinadas no Brasil. Das 4.539 mulheres assassinadas no País em 2017, 1.133 foram vítimas de feminicídio. Diariamente são registrados 600 casos de violência doméstica, perfazendo mais de 200 mil ao ano no Brasil, que teve notificados mais de 60 mil casos de estupro em 2017. A cultura da misoginia brasileira tem sido mostrada mais em estudos antropológicos e demográficos do que na literatura. Da Argentina, onde uma mulher é morta a cada 30 horas, vem o vigoroso Garotas Mortas (Todavia, R$  44,90), de Selva Almada,  que parte dos assassinatos de três jovens nos anos 1980 para falar sobre a banalização da violência contra a mulher ocidental.

    Escrito em Sábado, 11 Agosto 2018 16:55 Leia mais ...
  • Escrito por
    Jane Duboc agrega valores à música brasileira

    E eu que acreditava conhecer bem o trabalho da cantora e compositora Jane Duboc. Qual o quê, mermão; Jane não cabe num pensamento só. Jane é um ser feito para agregar seus sonhos e vivências aos de quem ela ama; ela sabe como ninguém que música e amizade são tesouros da vida.

    Escrito em Terça, 07 Agosto 2018 15:15 Leia mais ...
  • Escrita por
    Essa gente

    O primeiro conto de O Sol na cabeça (Companhia das Letras, R$ 34,90) é um teste de resistência para o leitor tradicional. A oralidade das ruas cariocas narra uma ida à praia de personagens que tradicionalmente são interpretados por figurantes na maioria das  obras que retratam a cidade. Pegar o ritmo e desvendar aquela linguagem composta de gírias e do total desrespeito à gramática é um exercício que pode desanimar quem se aventura a ingressar no universo apresentado por Geovani Martins, um escritor jovem, nascido distante do Centro e da área mais privilegiada do Rio de Janeiro, e hoje morador do Vidigal, um bairro onde 80% dos imóveis compõem uma favela voltada para o mar.

    Escrito em Sexta, 03 Agosto 2018 15:43 Leia mais ...
  • Escrita por
    Tsundoku, uma eterna missão

    Acontece com todo mundo que tem vício de leitura no mundo inteiro – e por isso, os japoneses criaram a palavra “tsundoku” para denominar o hábito de adquirir um livro, folhear, ler um pouquinho  e empilhar junto a outros, também deixados de lado com o firme propósito de serem degustados em outra ocasião.  A única maneira de desmanchar o tsundoku é lendo cada volume. O tsundoku não se forma com aqueles clássicos reservados para serem apreciados na aposentadoria, como Em busca do tempo perdido, Ulisses e Os Buddenbrook. O tsundoku se compõe a partir da indolência e da certeza de que chegará o momento certo de mergulhar naquelas páginas.

    Escrito em Segunda, 30 Julho 2018 12:14 Leia mais ...