Menu

AWKWA

Roberto Valente / Divulgação Roberto Valente / Divulgação

Um encontro casual, no Rio de Janeiro, de dois artistas cariocas que vivem no exterior, foi o ponto de partida para a criação de AWKWA, um espetáculo teatral que trata da experiência de ser estrangeiro, migrante. O ciclo se completa agora com a estreia mundial do espetáculo no Rio, no Espaço Cultural Municipal Sergio Porto.

Dado Amaral, ator e cineasta, mora em Paris, na França. Marta Chaves, atriz circense, vive em Sollebrunn, na Suécia, onde é a sede de sua companhia, o Teatro Baó. Para Marta, a estreia de AWKWA marcará também o seu retorno ao Brasil - será a primeira vez que ela se apresentará aqui desde que se mudou para a Europa, há 21 anos, quando fazia parte do Cirque du Soleil. Nas apresentações no Rio, o espetáculo terá a participação especial do músico Alexandre Brasil, contrabaixista da Orquestra Sinfônica Brasileira, que tocará a trilha incidental que compôs para a peça, além de acompanhar Dado nas canções ao vivo.
 
O espetáculo AWKWA dialoga com a performance, o teatro físico e a dança. Ele aborda a experiência de viver em um novo lugar, um novo país, da estranha sensação de sentir-se inadequado todos os dias. Um sentimento que não é incomum – podemos nos sentir estrangeiros em nosso país, em nossa cidade, às vezes mesmo em nossa própria pele. O espetáculo começou a ser concebido à distância - Marta na Suécia, Dado na França. O primeiro encontro dos dois para trabalharem juntos foi em novembro de 2015, em Paris. Eles decidiram, então, entrevistar pessoas que vivem há muito tempo no exterior e Dado sugeriu um termo em inglês para o trabalho: awkwards. Uma flexão, no plural – que não existe – do adjetivo awkward, que quer dizer estranho, complicado, difícil, desajeitado, inadequado.
 
A partir dos depoimentos, Dado criou canções que tratam da condição do estrangeiro e Marta desenvolveu uma coreografia aérea para cada canção. Apesar da particular rotina de trabalho, entre França e Suécia, a cada mês em um país, foram nascendo situações, cenas, personagens. Dado escreveu alguns textos; Viviana Méndez Moya, artista plástica chilena radicada em Paris, convidada para a direção de arte do espetáculo, criou cenas. No fim de 2016, o projeto do espetáculo foi contemplado pelo edital sueco Frispel para o desenvolvimento do trabalho.
 
Um ensaio geral para convidados, em julho de 2017, no Point Ephémère (Paris), selou o novo rumo do espetáculo. Após oficinas intensivas com o coreógrafo chileno Jose Vidal e a diretora carioca Adriana Schneider Alcure, a peça deu uma grande virada, mudou de nome – passou a chamar-se AWKWA – e fez a arrancada final para sua realização.
 
Serviço: AWKWA
Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto
Rua Humaitá, 163 (entrada pela Rua Visconde de Silva)
Tel.: 2535-3846
De 17 a 26 de fevereiro (sábado a segunda)
Horários: sábado e segunda, 21h / domingo, 20h
Ingresso: R$ 40,00 / R$ 20,00 (meia)  
Lotação: 130 lugares
Classificação etária: livre
 


voltar ao topo