Menu

Mostra do fotógrafo Luis Teixeira Mendes reinaugura espaço no Museu da República Destaque

Outros Tons de Jobim Outros Tons de Jobim

No dia 23 de junho, sábado, às 15:00 h, o Museu da República reinaugurou três novas salas de exposições ao lado do quarto de Getúlio Vargas. A abertura foi com Luis Teixeira Mendes que está expondo oitenta fotos, com curadoria do renomado fotógrafo Walter Firmo. A exposição, que reúne fotos do Rio de Janeiro, se chama Crônica Carioca de um Rio Particular. Há cinco anos ele se especializa em fotos da cidade, retratando seus encantos e desencantos, seus melhores ângulos, sempre com um olhar poético.

Carioca, morador de Copacabana, apaixonado pelo Rio, faz diariamente vários cliques da cidade. São momentos em que a lente encontra a curiosidade urbana.

Quem, no Rio, nunca frequentou ou não foi ao menos uma vez à Paradise Vídeo, em Copacabana, entre 1992 e 2016? A loja revolucionou o mercado de locadoras de vídeo e era especializada em filmes clássicos, cults, europeus e nacionais. A locadora virou referência na cidade, tornando-se a preferida de cinéfilos e artistas. Entre os ilustres clientes, que alugavam filmes para composição de personagem, destacam-se: Rodrigo Santoro, Bete Mendes, Flávia Alessandra, Francisco Cuoco, Sonia Braga, Malvino Salvador, Xande Valois, Teresa Cristina, Alessandra Maestrini. Os cineastas Walter Lima Junior, José Joffily, Paulo Thiago e Silvio Tendler também eram figuras constantes.

Em janeiro de 2016, o proprietário Luis Teixeira Mendes encerrou as atividades após 24 anos de funcionamento na Rua Figueiredo de Magalhães, em Copacabana. O fechamento causou comoção no bairro, nas redes sociais, e foi matéria de capa do Segundo Caderno do jornal O Globo, que a intitulou de Paradise: O Fim de uma Era.

Mas o empresário não ficou de braços cruzados. Tornou-se fotógrafo profissional e possui estúdio também em Copacabana.

Segundo Walter Firmo, que também está lançando o fotógrafo, "Luis Teixeira Mendes pertence à nova safra  que usa a fotografia como leitura e legítima defesa do belo, dissecando temas com linguagem de luzes rebuscadas, narrando com peculiaridades de formosura, requintes formais como quem escreve uma crônica carioca com uma visão particular".
Além da fotografia, outra paixão do jornalista é o teatro. De 2005 a 2007, produziu dois espetáculos infantis no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea, A Fantasia de Pinóquio e Adorável Cinderela, conquistando um público de mais de 50 mil espectadores. Em janeiro de 2017, produziu, juntamente com Dolores Del Rio, dois espetáculos teatrais: Em Nome do Filho e 4 na Kitchenette. As peças fazem parte do projeto Comédias Cariocas, que é responsável pela revitalização do Teatro Princesa Isabel, em Copacabana, um dos pontos mais tradicionais da cidade.

Luis está sempre se reinventando e investindo em cultura. É um empresário com alma de fotógrafo e produtor de teatro.

O Costureiro de Imagens

Tic-tac tic-tac tic-tac. Entretempos. Museu da modernidade. É o costureiro de imagens cuidando do substrato a ser costurado. Click! Ele se esmera em drapear e faz, de seus figurinos-fotografias, formosuras. Quem por ele passa, logo quer saber de seu ofício. “O que faço? Vampiros, divas, Clarices, Penhas - resgatadas de penhascos - Drumonds, índios. Sou monumental. E sou malandro também, tudo na santa Paz de Deus. Imaculadas são as Conceições!” Redimido.

O fotógrafo logo nos convida a transitar entre o santo e o profano. É o túnel Velho do Tempo. Dá adeus à inocência e nos oferece interlocuções tipicamente cariocas ao som de Cartola e Tom, dentre outros tons. Notas de justiça social, dignidade e labuta que abraçam a diversidade do Ser Humano. Misericórdia Senhor: expansão de pontos de vista, 360 graus. Costurar imagens, palavras e reflexos, necessário.

No “meio do caminho”, o roer do amor.  O Costureiro de Imagens a vê no espelho entre pós e “pós”. Ela é quase burlesca, mas se veste de tou tou. Ela é felliniana, banha-se na Fontana di Trevi. O seu cenário? Fontes plurais que falam da origem do Mundo, Courbet. A mulher, com seu sexo e seu ventre dá à luz. O costureiro de imagens oferta luz e sombra. Os cliques secretos de suas árvores são a modelo de Courbet. Entre suas pernas jaz Jesus Cristo.

Com licença, a poética é o espaço do Costureiro de Imagens. Foca Noites de Cabíria. Entre sorrisos e lágrimas, o desejo de amar. Volúpia escadaria abaixo. A dama de vermelho escadaria da Penha acima. Amor por princípio. Amor: consanguinidade de laços. “Amor à moda antiga”. E viva as vestimentas de Clarice Lispector!

Ah, limites entre realidades e imagens, como um Trompe-l’oeil - Chopin – ele está aqui, na nossa Urca; trabalhador da Comlurb – ele está aqui, nas nossas casas e o banhista – ele está lá, no mar. Quem de nós, cariocas, vive sem eles?

Xangô meu pai! Venha restabelecer a ordem na cidade conflituosa de Oxóssi. Que reinem a dança e a profundidade expressiva, afinal é disso que o costureiro de imagens gosta: palácios, reverências e luxúria. Um mundo emblemático do imaginário romântico.

E quem nunca desejou ver os fogos no réveillon de Copacabana? Reações químicas! Museus de “Amanhãs”.

Por Marisa Rosado Gamarra
Assessoria de Márcio Paradise


SERVIÇO
Crônica Carioca de um Rio Particular
Curadoria: Walter Firmo
Encerramento: 26 de agosto de 2018
Local: Museu da República – terça à sexta, das 10 às 17 horas. Dentro do Palácio do catete. – terceiro andar.
Sábados e domingos e feriados  - das 11 às 18 horas.
Entrada – 6,00 (inteira) e 3,00 (meia). Quartas e domingos- entrada Franca.
Rua do Catete 153 – Catete
Tel.: (21) 2127-0324




Última modificação emQuinta, 19 Julho 2018 15:10
voltar ao topo