Menu
Luís Pimentel

Luís Pimentel

Luis Pimentel é jornalista e escritor, com mais de 50 livros publicados em diversos gêneros. Trabalhou em diversas redações de jornais e revistas e atualmente mantém uma coluna semana no jornal O Dia do Rio Janeiro.
Edita a revista eletrônica Musica Brasileira.

URL do site: http://luispimentel.acontecenacidade.com.br

Promessas de ano novo

No último dia do ano, Carlão aproveitou a família reunida para fazer algumas promessas a respeito de providências que tomaria na primeira hora do dia seguinte, tão logo acordasse para viver o ano novo.

Feliz Natal

Quando menos se espera

 Tornou-se folclore no memorial da imprensa brasileira a história do redator que, sem inspiração para a manchete de uma edição de 25 de dezembro, tacou lá no alto da página, em letras maiúsculas e exclamação:

     QUANDO MENOS SE ESPERA, CHEGA O NATAL!

Acertou em cheio. Geralmente, quando pensamos que ainda estamos no meio do ano, ela chega, provocando na gente aquela frase mais manjada do que a ideia do redator:
“Puxa! Como este ano passou depressa...”

Há quem espere o Natal fazendo contas (os comerciantes), se preparando para trabalhar pelo ano inteiro (a turma que faz bico como papai Noel) ou bebendo para esquecer (o peru da ceia); alguns torcem para que o dezembro todo passe logo, carregue com ele o janeiro e o fevereiro, venha logo março e a voltas às aulas (os pais daquele moleque que passa as férias inteiras em casa, grudado no videogame).

O certo é que, quando menos se espera, a gente sente certo prazer em abraçar aquela pessoa querida e dizer “Feliz Natal”.

E isso é o que conta.

Não brinquem com o fogo

Como diziam as mães antigamente, quando o filho estava prestes a se meter em encrenca, “não brinque com o fogo” (“cuidado com o dedo na tomada, com a ponta do prego, com o caco de vidro” também se usava bastante). Hoje as crianças praticamente não brincam mais como fogo – nem com nada, pois brincar saiu de moda; agora levam a vida a sério, olhos e dedos paralisados no celular. Mas ainda podemos recomendar aos adultos: não brinquem com o fogo, pois o prejuízo pode ser irremediável.

Assinar este feed RSS